CINQUE TERRE


Dicas para Quem Visita Cinque Terre

  • Apesar de Cinque Terre não fazer parte da região da Toscana, e sim da Ligúria, pela sua proximidade é um destino comum para quem está na região e tem tempo suficiente para ir além do roteiro cidades medievais e das vinículas.

  • A Ligúria é dividida em duas partes: Riviera Ponente (que faz fronteira com a França) e Riviera Levante, onde está a parte mais charmosa da Riviera Italiana. É exatamente aí que fica "Cinque Terre", ou as Cinco Terras, de nome Riomaggiore, Manarola, Corniglia, Vernazza e Monterosso.

  • Como transitar de carro pelas estradas estreitas é difícil e até perigoso e há pouquíssimo espaço para estacionar carros nas vilas, o ideal é deixar o carro em La Spezzia e pegar trem até uma das vilas, seguindo para as demais de trem ou de barco.

  • Em La Spezia não há atrativos turísticos. Pode-se estacionar o carro no Parcheggio Publico (estacionamento público) na frente e no subsolo da estação de trem.

  • As Cinque Terre são ligadas por uma rede de caminhos que oferecem a melhor oportunidade de apreciar verdadeiramente sua paisagem única. Todos as cinco aldeias são bem conectadas por via férrea vindas de Gênova e La Spezia, com partidas frequentes, em horários marcados. Importante pegar a tabela de horários dos trens e acompanhar qualquer mudança, pois nem todos os trens param em todas as estações no mesmo intervalo de tempo.

  • Vale a pena também comprar o 5-terre card que dá direito ao uso do trem e a Via Dell’Amore.

Cinque Terre - Riomaggiori

  • Informações Gerais:

  • Riomaggiore é a aldeia mais a sul das Cinque Terre. A cidade está encrustada nas encostas com vista para o mar e caracteriza-se pelas típicas casas de pedra com fachadas coloridas e telhados de ardósia. O que Riomaggiore perde em praia para as demais vilas, ganha definitivamente na encosta, com vista privilegiada para o pôr do sol.

  • Histórico:

  • As origens de Riomaggiore remontam ao século VIII, quando os habitantes do Vale Vara, procurando um clima mais ameno para cultivar as vinhas e oliveiras sem medo de ataques de piratas, mudaram-se para a costa.

  • Curiosidades:

  • Vale fazer um lanchinho em uma das bruschetterias da cidade, como a Te la do Io la merenda, que fica na rua principal da cidade de Riomaggiore. Tem bruschetta vegetariana, de quatro queijos, de funghi, ao pesto (destaque para essa!): tudo pela fortuna de três euros no máximo.

  • De um pulinho no restaurante Dau Cila, logo em frente ao mar (Via San Giacomo, 65). Quem toma conta é uma brasileira: então, espere ouvir bastante português, mas fique tranquilo que o paladar é italiano. (Lagostins ao azeite e ervas). Vale pedir pelo vinho Litan, próprio da casa (melhor vinho branco).

  • Pontos Turísticos:

  • Via dell'Amore: Caminho que liga a Vila Riomaggiore a Manarola, conhecido por sua atmosfera romântica e incríveis paisagens. O caminho leva a Manarola e demora 20 minutos a pé. Reza a lenda que as cidades de Manarola e Riomaggiore eram povoados pequenos e separados do mundo e entre si pelo acesso difícil, que só foi começar a melhorar com a construção da linha de trem. Mas de qualquer modo, até então era muito comum que os jovens de cada uma das cidades casassem entre si, já que não havia muitas “opções” disponíveis – e o resultado é que a população de cada cidade foi virando uma grande família. Com a criação da estradinha que ligaria os dois vilarejos, começou o trânsito dos jovens de lá para cá em virtude do trabalho e comércio e como consequência, os encontros românticos. Para entrar no caminho é necessário apresentar o seu 5-terre card, do trem, na validade: ele dá direito a trilhar o caminho, sem pagar. Com a inundação de 2011, o caminho foi fechado aos turistas. Vale verificar se já está operando normalmente antes de se programar para fazê-lo. Se estiver fechado, a opção passa a ser trem, barco ou balsa.

  • Igreja de San Giovanni Battista, construída em 1340 (estilo gótico)

  • Igreja de San Lorenzo (1338) com sua bela rosácea remonta ao século XIV

  • Castelo de Riomaggiore (construída em 1260): onde pode desfrutar de uma vista maravilhosa sobre o mar.

  • Santuário da Madonna di Montenero - Cerca de 350 metros do mar, ao longo da estrada costeira conectando o Cinque Terre com La Spezia

  • Se for dormir em Cinque Terre, reserve o horário do fim da tarde para sentar-se nas pedras do cais da cidade (tem até um mini-caminho em pedra para chegar lá, e invariavelmente está cheio de jovens, alguns com violões, outros só em casal). Muitos chegam para o pôr-do-sol, um dos mais bonitos das Cinque Terres, para um piquenique com pão italiano, queijo e vinho.

Cinque Terre - Manarola

  • Informações Gerais:

  • Manarola, construída em uma rocha 70 acima do nível do mar, é um das mais charmosas e românticas das aldeias de Cinque Terre. No pequeno porto há uma rampa de barco, pitorescas casas multicoloridas faceando o mar, uma pequena praça com restaurantes de frutos do mar e uma prainha. Ao longo da entrada principal, os barcos são puxados em terra seca cada vez que o mar está bravo. Aqui não há praia, mas ela oferece um dos melhores pontos para mergulhar e nadar a sua volta. A aldeia é cheia de subidas e descidas, com vielas estreitas e íngremes, levando para o mar.

  • Curiosidades:

  • As vielas coloridas de Riomaggiore se repetem aqui, só que mais cheias e animadas. Para quem está na busca de artesanatos típicos da região, aqui se encontra uma variedade maior, em especial nas lojas próximas ao mar. O sorvete italiano – aquele, delicioso, que a gente ama – sai mais barato aqui também. Confira a sorveteria mais próxima, quase coladinha, ao mar.

  • Pontos Turísticos:

  • As pedras da sua costa formam uma espécie de barreira contra as ondas, e o resultado é uma piscininha natural deliciosa. Em Cinque Terre, o negócio é esquecer a praia como nós a conhecemos, com faixas largas de areia. Ali, o mergulho é feito nas pedras mesmo. Siga a estrada a pé na direção de Corniglia (ela acaba, porque a rota está interditada) e um pouco mais de 200 metros da “praia” principal de Corniglia está uma pequena baía escondida, de águas estupidamente esmeraldas.

  • Igreja de San Lorenzo construído em 1338 em estilo gótico: se você quiser se aventurar até o topo de Manarola, visite a igreja. Hoje ela serve como um centro religioso e o local de encontro da Comunidade, mas em tempos mais antigos, a torre do sino foi usada como um posto para observar possíveis ataques de piratas.

Cinque Terre - Corniglia

  • Informações Gerais:

  • Corniglia está localizada no meio de Cinque Terre sobre uma pequena baia 100 metros acima do nível do mar.

  • É a única cidade sem acesso ao mar e mais alta das “Terres”. Lá não se chega de barco e chegando lá no trenzinho, tenha em mãos o seu cartão 5-Terre card: logo em frente à estação há alguns ônibus que sobem a estrada em direção à Corniglia, e o bilhete na validade dá direito também a essa viagem.

  • Para quem quer subir a pé, também é possível, por uma trilha conhecida como Lardarina (377 escadas), mas fica o aviso de que é uma subida bastante puxada até lá.

  • Histórico:

  • Corniglia é uma antiga vila romana que tem uma longa e rica tradição agrícola. A vila é cercada em três lados por vinhas e terraços. Sua arquitetura é mais perto de uma aldeia rural do interior do que a de uma aldeia costeira.

  • Curiosidades:

  • Corniglia está ligado às outras aldeias de Cinque Terre por trilhas bem guardadas, mantidas pelo pessoal do parque. Uma opção de turismo ecológico é fazer a trilha maior, que dura 2 horas.

  • Pontos Turísticos:

  • Praça Largo Taragio do século XVIII com seu oratório de Santa Caterina.

  • Paróquia de San Pietro, que é um exemplo perfeito do estilo gótico da Ligúria e é um dos monumentos mais interessantes de toda a costa.

  • Mirante da cidade. Que é lindo – mas o passeio mesmo já começa no caminho até lá, cheio de lojinhas bem simpáticas.

Cinque Terre - Vernazza

  • Informações Gerais:

  • A pequena vila de pescadores Vernazza é provavelmente a mais característica das Cinque Terre e é classificada como uma das mais belas aldeias na Itália. Muita gente fala que Vernazza é a “Terre” mais simpática das cinco. Há três formas de ir de Corniglia para Vernazza: de barco, de trem (bilhete 5-Terre card) ou a pé, seguindo uma trilha que leva mais ou menos uma 1 hora até Vernazza. No geral, a maneira ideal para se chegar a esta vila de tirar o fôlego é pelo mar.

  • Histórico:

  • Vernazza foi fundada cerca de 1000 D.C. e foi governada pela República de Gênova a partir de 1276. O castelo medieval, Belforte, foi construído em meados de 1500, principalmente para proteger a vila de piratas. Hoje o pequeno porto é cercado por casas pintadas de cores pasteis e de uma encantadora praça repleta de bares e bons restaurantes. A vila é cercada por olivais muito íngremes plantados em forma de terraços que são conhecidos por produzir entre os melhores azeites do país.

  • Curiosidades:

  • A cidade sofreu um deslizamento de terra terrível em outubro de 2011, causado por chuvas fortes na região. Houve vítimas, e a cidade ficou abaixo de escombros e lama que chegou até a 12 pés de altura. Mas a cidade já está dando mostras de seu reerguimento, aos poucos. Muito do que se sabe do desastre na região se vê através de fotos e anúncios captando doações para a reconstrução. Mas a praça principal da cidade renasce, com barraquinhas coloridas desabrochando aqui e ali, protegendo os turistas do sol quente entre um “gelato” e outro. E o turismo volta, como catalisador que é da força dos moradores locais que lutam para voltar da crise.

  • Pontos Turísticos:

  • Igreja de Santa Margherita di Antiochia, construída sobre as rochas com vista para o mar

  • Torre do Castelo Doria, construído no século XV para proteger a vila de piratas, situa-se acima da baía

  • Porto de Vernazza e faixa de areia na praia, onde dá para tomar sol e mergulhar. O que vale aqui é o mar e não a praia. Não espere uma praia de areias brancas, mas o mar ali é mais aberto e bem profundo e de águas turquesas. Próximo a um enorme paredão de rocha (característica do litoral entrecortado da região), vai ver uma área deliciosa para mergulho. Cuidado apenas com os barcos.

  • Repare nas portas da cidade: muitas são pintadas por artistas e possuem desenhos bem interessantes.

  • Praça cheia de barzinhos e gelaterias

Cinque Terre - Monterosso

  • Informações Gerais:

  • Monterosso é a maior das cinco aldeias da Cinque Terre. A vila está localizada nas colinas cultivadas com videiras e azeitonas. A aldeia é dividida em duas partes, marcadas pela torre medieval de Aurora. A parte nova da cidade, Fegina, é cheia de vida, é o reflexo de uma área que o turismo tem feito crescer com grande quantidade e qualidade de hotéis e restaurantes. A cidade velha de Monterosso é dominada pelas ruínas do castelo e caracterizada por típicas ruelas medievais com casas geminadas multicoloridas. A praia de Monterosso é a única praia de areias extensa em Cinque Terre.

  • Curiosidades:

  • Há praias públicas e particulares. Na particular, por 10 Euros você pode usar uma cadeira e um guarda-sol; por 15 Euros, uma espreguiçadeira. Há espaço para tomar banho e armários para guardar seus pertences com chave.

  • Pontos Turísticos:

  • Estátua do Gigante, em Fegina: construída ao lado do terraço de uma vila local, esta estátua que representa Netuno, o Deus do mar, foi criada no início do século XX por Levacher e Minerbi, um arquiteto e um escultor e. Agora se tornou o símbolo de Monterosso.

  • Igreja de San Giovanni Battista, localizada na praça principal da cidade velha e construída no 1200s, no estilo gótico-Genovese. Dentro, há um afresco retratando o batismo de Cristo.

  • Igreja de San Francesco onde algumas obras de arte são mantidas, como a crucificação pintada por Dick Van de Arte.

  • Santuário de Soviore, que remonta ao século XVII e está a 400 metros do nível do mar.

#dicasdecidadesnaitália #europa #europe #italia #italy #travel #viagem #viadelamore #cinqueterre #monterosso #riomaggiori #corniglia #manarola #vernazza #PAGINALIGURIA