FIRENZE 5 - MUSEO FERRAGAMO

​Pontos Turísticos de Firenze - Região 5: Palazzo Palazzo Spini Feroni e Museu Salvatore Ferragamo

O Palazzo do século XIII inicialmente construido pela Familia Spini e depois compartilhado pela família Ferroni, abriga hoje o Museu Salvatore Ferragamo, que conta um pouco da história do estilista e de suas criações entre os anos 20 a 1960 e traz exposições de arte e cultura temporárias.

Além de expostos os sapatos ícones de suas coleções e os moldes dos pés das suas clientes mais famosas (como Marilyn Monroe e Sophia Loren), há equipamentos usados para a produção artesanal e materiais usados nas criações.

Mas para quem espera ver todo a historia do designer, pode se decepcionar, pois o espaço dedicado a ele é pequeno comparado ao usado para exposições temporárias e outras exibições normalmente relacionadas a sapatos e pés; vale a pena se você estiver com tempo sobrando e optar pela visita guiada, que dá mais conteúdo às obras expostas.

O edifício que abriga o museu carrega também bastante história. No lugar de torres (edifícios medievais) destruídas na inundação de 1288, o rico comerciante e político Geri Spini construiu aqui no ano seguinte o seu palácio, sendo naquele momento o maior palácio privado em Firenze, o único que podia competir com o Palazzo Vecchio.

Sua versão original foi representada por Ghirlandaio nos afrescos da Capela Sassetti, na Igreja Santa Trinita.

No século XIV, a propriedade foi dividida em duas partes, onde habitavam 2 ramos diferentes da família. No século XVII, o edifício foi parcialmente alterado, pois a família teve que vender a parte que dava para a praça por dificuldades financeiras.

O palácio foi ampliado e remodelado nos séculos seguintes.

Em 1674, o Marquês Francesco Antonio Feroni (um homem de origem humilde que depois de uma vida conturbada em Amsterdã virou um rico banqueiro e logo depois recebeu um título de nobreza) tornou-se o proprietário daquela parte do edifício voltada para a Santíssima Trindade.

A outra metade do prédio permaneceu na família até a morte de Guglielmo Spini, que tinha uma filha única sem filhos e nomeou como herdeiro Domenico Luca Pitti, que como reconhecimento acrescentou o sobrenome Spini a seu.

Posteriormente, seu filho Roberto vendeu sua metade do edifício para o marquês Feroni, que unificou o edifício em 1807.

Em 1832, o edifício foi vendido a família Hombert, que lá abriu o Hotel de l'Europe. Nessa altura, o edifício ainda estava perto do rio, dividido apenas por um arco.

A cidade o comprou em 1846 e transferiu para lá sua sede durante os anos em que a Capital da Italia recém-unificada era Firenze (e o Palazzo Vecchio passou a ser a sede da capital), permanecedo ali até 1881.

Durante algum tempo sediou a sede do Gabinete Vieusseux (depois do Palazzo Strozzi), uma biblioteca e um centro cultural, quando sofreu uma reforma que restaurou seu estilo neomedieval que, ao contrário de palácios renascentistas, apresentava a aparência sólida de uma fortaleza defensiva, típica de quando a família tinha que se proteger de seus concidadãos.

Em 1881 foi adquirido pela Cassa di Risparmio di Firenze.

Em 1938, o edifício foi comprado por Salvatore Ferragamo, que lá instalou a sede de sua empresa, laboratório de design e uma loja.

Em 1995, no porão do prédio, foi aberto o Museu Salvatore Ferragamo.

Outros Pontos Turísticos da Região 5:

  • Atrações complementares bem interessantes

  • Palazzo Strozzi (Palacio Strozzi)

  • Atrações opcionais ou de interesse específico

  • Santa Trinità

#europa #europe #firenze #florence #florença #italia #italy #toscana #travel #tuscany #viagem #dicasdecidadesnaitália #PalazzoSpiniFeroni #MuseoSalvatoreFerragamo #MuseuSalvatoreFerragamo #Ferragamo #FILTROFIRENZE