FIRENZE 3 - PALAZZO MEDICI RICCARDI


Pontos Turísticos de Firenze - Região 3: Palazzo Medici Riccardi

O Palazzo do Século XV foi por muitos anos residencia da familia Medici, onde recebiam jovens para praticarem técnicas artisticas usando as inumeras esculturas como modelos que posteriormente se tornaram os principais mestres do Renascimento. Posteriormente vendida para a familia Riccardi, hoje abriga exposições temporárias dedicadas aos grandes protagonistas de seu apogeu.

O Palazzo Medici Riccardi por muitos anos foi propriedade da Família Medici, sendo posteriormente adquirido e ampliado pela Família Riccardi.

Ao decidir construir o Palazzo, Cosimo I, patriarca da família Medici, pediu um projeto a Brunelleschi. O projeto apreentado foi, no entanto, extravagante e luxuoso. Sendo um político precavido, sabia que o obra provocaria a inveja dos seus concidadãos e rejeitou-o por precaução.

Cosimo contratou, então, Michelozzo, um arquiteto igualmente conhecido na época, mas mais discreto, para projetar o palácio.

Michelozzo projetou um edifício cúbico de aspecto exterior imponente, mas sóbrio e austero, construido em 1460 na Via Larga (que tinha esse nome por ser uma das maiores da cidade e atualmente é a Via Cavour).

A sua fachada é considerada uma obra prima de sobriedade e elegância, com uso de janelas duplas, arcos e rusticação gradual, ou seja, com pedras salientes no andar térreo, mais aplanadas no primeiro andar, e com blocos macios e apenas enquadrados no segundo andar, colocando assim uma visão de relevo.

Ao longo dos lados leste e sul corre um "banco de rua", uma base alta em pedra que servia razões práticas e estéticas (na verdade, ali se formavam filas das pessoas que queriam falar com os Medici, o que acabava sendo também uma ostentação do poder da família).

No interior do palácio o patio da entrada já se destaca com os inumeros bustos e padrões dos membros proeminentes da família.

Patio Interno do Palazzo

No primeiro andar, vale gastar um tempo observando os maravilhosos afresos da Galleria di Luca Giordano ou Galleria degli Specchi (Galeria dos Espelhos).

Galleria degli Specchi

A Cappella dei Magi (Capela dos Magos), sua capela privada, expões maravilhosos afrescos com temas religiosos, mas que na verdade serviam de pretexto para representar retratos dos membros da família e de personagens políticas da época, vindas oficialmente a Firenze a convite dos Medici, celebrando assim sua conquista política.

Afresco da Cappella dei Magi (Capela dos Magos)

No final do século XV, época áurea de Lourenzo o Magnífico, as grandiosas coleções artísticas dos Medici eram conservadas no palácio. No grande parque situado no lado norte do palácio, o chamado Horto de São Marcos, comprado pela esposa de Lourenzo, Clarice Orsini, foram colocadas as esculturas clássicas da coleção.

Era no horto que jovens artistas, frequentemente hospedados no Palazzo, podiam copiar e estudar os modelos clássicos e aprender as técnicas artísticas, criando assim o precursor daquilo que viria a ser a primeira Academia de Belas Artes da Europa.

Horto de São Marcos, onde artistas do Renascimento praticavam técnicas artísticas

Foi nesta Academia que se formou a geração de jovens artistas florentinos que, poucos anos depois, revolucionaria a arte europeia, entre eles Leonardo da Vinci, Raffaello e Michelangelo, que viveu sua adolescência no palácio.

A morte de Lourenzo, em 1492, coincidiu com o fim dessa boa fase para a Familia Medici e para Firenze.

Os florentinos, enfurecidos e impregnados pelos sermões do Frei Savonarola, que troavam contra os a luxuria e costumes lascivos e neopagãos da cidade, foram instigados ao tumulto, tendo saqueado o palácio em 1494, confiscando, em nome da República Florentina, o tesouro dos Medici, constituído por decorações, jóias e inestimáveis obras de arte.

No entanto, grande parte do tesouro permaneceu, afortunadamente, em Firenze, tendo sido recomposto, em grande medida, pelos sucessivos membros da família, com renovações feitas no Palácio alguns anos mais tarde.

Em 1527, o imperador do Sacro Império Romano-Germânico derrotou o exército francês na Itália, que recebia até então apoio do Papa. Como os fundos do império e os espólios de guerra não foram suficientes para pagar os soldados, estes forçaram uma marcha contra Roma e saquearam totalmente a cidade, em um evento militar chamado de "Saque de Roma".

O ataque depois o Papa Clemente VII, que era um Medici, e o incidente levou à última caçada da principal família da Firenze e a um novo saque do palácio em 1527.

Firenze continuou a apoiar a França, que perdeu a guerra contra o exercito sacro imperial e espanhol durante o "Cerco de Firenze" de 1530. A República de Firenze foi derrubada e Alessandro de Médici, neto de Lorenzo O Magnífico, foi instalado como governante da cidade.

Alessandro, no entanto, foi morar no Palazzo Vecchio, abandonando o Palazzo Medici da Via Larga aos descendentes dos ramos menos conhecidos da família.

O palácio ficou, então, privado de qualquer função de representação politica ou social.

Depois de várias passagens de propriedade entre os membros da família Medici, o palácio passou para Ferdinando II de Medici, que residia no Palazzo Pitti e por isso decidiu vender o prédio tido como “obsoleto” a uma rica família de banqueiros, os Riccardi.

Na época moderna, é passou a ser sede do Conselho Provincial e ao longo dos anos foram instalados um museu, uma biblioteca e um espaço para exposições.

Outros Pontos Turísticos da Região 3:

  • Atrações tradicionais ou imperdíveis

  • Mercato Centrale di San Lorenzo (Mercado Central e centro gastronômico no primeiro andar)

  • Atrações complementares e bem interessantes

  • Basilica di San Lorenzo

  • Capela Medici

  • Atrações opcionais ou de interesse específico

  • Biblioteca Medicea Laurenziana (Biblioteca Lorenciana dos Medici)

#europa #europe #firenze #florence #florença #italia #italy #toscana #travel #tuscany #viagem #dicasdecidadesnaitália #PalazzoMediciRiccardi #FILTROFIRENZE