LUCCA

Dicas para Quem Visita Lucca

Um pouco de Lucca, na Toscana, e suas principais atrações: Muralha (e o passeio de Bicicletas), Piazza Anfiteatro, Cattredale di San Martino, Igreja San Michele in Foro, Torre Guinigi e Casa Giacomo Puccini.

Onde é e como chegar a Lucca

Lucca é uma comuna italiana da região da Toscana, província de Lucca, com cerca de 80.000 habitantes.

Fica a 1:00 hora (80 km) de Firenze, 0:25 horas (25 km) de Pisa e 1:35 horas (145 km) de Siena.

Um pouco da história de Lucca

O nome da cidade Luca significa "clareira iluminada". Indícios arqueológicos apontam que a cidade de Lucca se originou a partir de uma colônia lígure, situada em um terreno pantanoso e fértil perto do rio Serchio, nos limites do território Etrusco, do qual mais tarde passou a fazer parte.

Em 180 a.C. tornou-se uma colônia romana com seu típico plano de ruas, cujas construções acabaram sendo aproveitadas como base para futuros edifícios, como a Piazza San Michele que ocupa o local de um antigo forum, a Piazza dell'Anfiteatro e as primeiras muralhas.

Da mesma forma, a Via Fillungo, a rua principal da cidade, também foi concebida para ser o Decumano (a rua romana principal em linha reta), apesar de sua característica estreita, sinuosa e tipicamente medieval que é um testemunho de como Lucca foi alterada desde a antiguidade.

Ao longo dos primeiros séculos, Lucca foi dominada por Ostrogodos, Bizantinos, até ser finalmente conquistada pelos Lombardos provavelmente em 570.

No início da Idade Média, com a criação da rota de peregrinação Via Francigena / Romea, Lucca, cuja catedral guardava a famosa relίquia do Volto Santo, tornou-se uma das principais estações de "descanso" na rota entre a França e Roma, como é evidente nas cruzes gravadas pela passagem peregrinos nas paredes das arcadas de São Martino, que ligava a França a Roma.

Aquela época retocou a cidade para sempre, em tijolos e argamassa. As "Case-Torri" (casas em forma de torres) se multiplicaram, dando a Lucca um perfil distinto.

Apesar de diferentes alturas, a mensagem que transmitiam era invariavelmente: "Quanto maior a minha torre, maior será o meu poder". Com até cinco ou seis andares, era dificil para um visitante saber qual dominava a cidade. Uma família influente que enfrentasse tempos difíceis estava também suscetível a encontrar sua torre "decapitada" em demonstração de sua perda financeira e de seu poder.

A cidade ainda preserva uma imensa variedade de riqueza arquitetônica como as inúmeras construções religiosas medievais que deram à cidade o apelido de "cidade das 100 igrejas," além de campanários, palazzos renascentistas, casas-torre medievais, praças e monumentos de forte destaque.

No século XIV, Lucca tornou-se uma das mais ricas e mais importantes cidades da Idade Média italiana. Ficou famosa na Europa graças à produção de tecidos e pelas suas tecelagens de seda.

Atualmente, o turista se disponha a fazer um passeio pelo centro de Lucca, que pode transformar-se numa aula de história e de arquitetura, mas também em uma caminhada pelas ruas estreitas e charmosas da pequena cidade para admirar alguns dos mais belos edifícios medievais e renascentistas da Toscana.

Curiosidades de Lucca

Lucca está fechada ao trânsito. Vale muito a pena fazer um passeio de bicicleta, já que a cidade é bastante plana. A bike, uma maneira fácil, divertida e barata (12 a 15 Euros por dia) para descobrir a cidade, pode se alugada próximo das entradas da cidade muradas e você pode explorar toda a cidade com ela.

Perca-se pelo centro histórico, por suas antigas e preservadas ruas de pedras e pelos velhos palazzi, que hoje abrigam lojas de antiguidades e de comidas. Depois, suba ao parque em cima das muralhas, que é extremamente agradável, já que a vista e o ambiente de seus 4 km podem ser melhor explorados sob 2 rodas.

Atrações Turísticas de Lucca

Muralhas: As muralhas de 4,195 quilômetros de extensão e 12 metros de altura que fizeram Lucca famosa são uma incrível obra de engenharia militar construída a partir da época romana com fins defensivos e que hoje são um das mais bem preservadas da Europa. Na época medieval as muralhas da cidade foram ampliadas, com exceção da parte Sul, que manteve sua forma romana original: este foi o lado que enfrentava os ataques de Pisa, seus inimigos mais ferozes, e por isso as paredes desse lado não poderiam ser enfraquecida pela construção de novos edifícios. As muralhas só foram finalizadas na última metade do século XIII. Durante muitos anos, pelo seu porte, foram utilizadas também como um anel viário real, único exemplo no mundo desse tipo de construção defensiva usada para este fim.

Parque no alto das Muralhas: As muralhas e seus seis portões foram transformadas durante o século XIX em um agradável passeio pedestre, e constitui, ao longo das muralhas e dos gramados na frente das paredes, o principal parque da cidade durante o verão para uma etapa natural para shows e eventos. A vista que se tem passeando pela fortificação, de onde se enxergam cidades vizinhas, já valeria o passeio, mas os atrativos também estão em seu interior.

Palácio Pfanner: Próximo ao anfiteatro e a Basilica di San Ferdiano, o palácio, construído no século 17, foi comprado no século 19 pelos Pfanners, uma família suíça de fabricantes de cerveja. A família, que acabou por dar à cidade um prefeito, ainda mora aqui. O magnífico jardim setecentista tem um grande chafariz, um lago e estátuas de deuses gregos.

Basilica di San Frediano: Entrando pela Porta de Santa Maria, à direita pela Via della Cavallerizza, está a impressionante fachada desta igreja que possui um mosaico colorido do século XIII.

Piazza dell'Anfiteatro: Perto di San Frediano está a Piazza dell'Anfiteatro, que desde a Idade Media o lugar é a praça principal da cidade. É um adorável espaço oval delimitado por casarões, e seguindo pelos bares, restaurantes, praças e mercados que foi construído sobre um antigo anfiteatro romano.

Via Fillungo: Rua principal da cidade desde a época medieval, reúne as maiores lojas da cidade.

Torre Guinigi: A partir da Via Fillungo, virando a direita na Via Sant'Andrea está a Torre Guingi, que pertenceu a família que, durante muitos anos, governou Lucca. Fica ao lado do Palazzo do mesmo nome. A longa subida até o topo é cansativa, são 230 degraus, mas o esforço vale a pena para a vista espectacular. Do alto da Torre dá para admirar as montanhas dos Alpes Apuanos.

Torre delle Ore: Voltando a Via Fillungo, descendo alguns passos, está a Torre do Relógio. Em 1390 foi instalado o primeiro relógio que marcava as horas com apenas o badalar de um sino, e um século mais tarde foi instalada à marcação tradicional. Em 1752, depois de várias mudanças de mecanismos através do curso dos séculos, Lucca encomendou ao relojoeiro de genebra Louis Simon a construção de um mecanismo moderno. Ainda hoje, depois de subir os 207 degraus da escada de madeira ao topo, além de poder admirar os telhados e torres da cidade pode-se ver o mecanismo do relógio do século XVIII.

Igreja San Michele in Foro: Na rua paralela a Via Fillungo, a Via Santa Lucia, está a Piazza San Michele. Lá compensa parar para um café em algum bar na frente da Igreja San Michele in Foro para admirar a fachada com as dezenas de colunas de mármore retorcidas e incrustadas, uma diferente da outra. Além disso, também em sua ua fachada, podem ser vistos os rostos de italianos importantes da época da reunificação italiana, como o Rei Vittorio Emanuele, Giuseppe Garibaldi e Camillo Benso, ladeados por figuras relevante da época medieval e renascentista.

Casa Puccini: Atrás da Piazza di San Michele, na Via di Poggio, está a bela casa do século XV onde nasceu e viveu o Giacomo Puccini (1858-1924), o compositor de ópera autor de Madame Butterfly, La Bohème e Tosca. A casa foi transformada em um santuário do compositor. Ele é celebrado também no "Festival Puccini e la sua Lucca" e, no verão, no "Puccini Festival".

Piazza Napoleane: Mais a frente, pela Via Caldeira ( que se trasnforma em Via Vittorio Veneto) está a praça criada durante a ocupação da França entre 1805 e 1815, liderada pela irmã de Napoleão Bonaparte, Elisa Bonaparte Baciocchi, copiando a arquitetura francesa da época.

Duomo di Lucca: Saindo pela Piazza del Giglio se chega a Cattedrale di San Martino, do século XI. O Duomo da cidade e sua fachada impressionante destacam-se como um dos exuberantes exemplos do estilo românico de Pisa. O interior gótico contém o Volto Santo: reza a lenda que este crucifixo em madeira, trazido aqui no século 8, não foi feito por mãos humanas.

Ruas da Cidade: Andar pela cidade é um passeio cheio de descobertas.

Villa di Paolo Guinigi: do século século XV, é hoje a sede do Museo Nazionale da arqueologia etrusca e romana e de uma pinacoteca.

Próximos a Lucca: Na região os rural, há uma série de pequenos vilarejos históricos como a Villa Torrigiani (em Capannori, a 25 minutos de Lucca) e Villa Mansi (em Segromigno in Monte, a 20 minutos de Lucca), circundadas de parques maravilhosos.

Gastronomia em Lucca

Ao longo das ruas de Lucca o visitante encontra muitas confeitarias com bolos tίpicos da região, como buccellato ou castagnaccio.

Relaxe tomando um gelato no Antico Caffè Simo, onde Giacomo Puccini, o mais famoso filho de Lucca, costumava passar as tardes.

Uma boa dica para o almoço é o popular Trattoria Da Giulio in Pelleria, um dos mais autênticos e amados endereços gastronômicos da Toscana.

Dica de Hotel em Lucca

Hotel Maison de Charme Alla Corte degli Angeli

  • Via Degli Angeli 23 Lucca 55100

  • Brasil 0800-891-3841

  • www.allacortedegliangeli.com / info@allacortedegliangeli.com

  • Tel +39 0583469204

  • É possível chegar de carro no local e a recepção leva o carro para o estacionamento

  • Entrada pela porta da Piazza de Santa Maria

#europa #europe #italia #italy #toscana #tuscany #viagem #travel #lucca #dicasdecidadesnaitália #FILTROTOSCANA